FCS Brasil
Notícias [+] Lidas
03/10/2018   

Tribunal multa Prefeito-selfie por má gestão de medicamentos pra população de Ponta Grossa

Mais uma vez, a gestão do Prefeito-selfie de Ponta Grossa-PR, Marcelo Rangel (PSDB), se comprova como uma gestão relaxada, descuidada, um descaso total com a população.

O processo de Monitoramento decorreu da decisão expressa no Acórdão nº 2402/2013, da Segunda Câmara da corte. Naquela ocasião, a Segunda Câmara aprovou o Relatório de Auditoria realizado por servidores do TCE-PR em parceria com a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), no programa chamado Plano Anual de Fiscalização Social (PAF Social). A equipe de fiscalização apontou diversas falhas na aquisição, no armazenamento e na distribuição de medicamentos para a população do município.

Rangel está em campanha para a reeleição do irmão , Sandro Alex (PSD), como deputado federal, a favor de Ratinho Jr ao governo do Paraná e de Beto Richa ao Senado, ainda, a favor do filho do Beto Richa, Marcello Richa, a deputado estadual.

Uma vergonha total mesmo.


VEJA, TAMBÉM>>> Justiça eleitoral condenou Sandro Alex por mentira sobre 'ser o deputado mais bem avaliado do Paraná' e o mandou retirar coisas da internet

E MAIS>>>> Com 24 assessores, R$ 1,3 milhão do Fundão, na reta final Aliel Machado usa até a mãe atrás da reeleição


ESTÁ NO SITE DO TCE-PR -  Marcelo Rangel Cruz de Oliveira, atual prefeito de Ponta Grossa, foi multado por descumprir determinações do Tribunal de Contas do Estado do Paraná. A Prefeitura terá prazo de mais um ano para implantar as medidas determinadas pelo TCE-PR para melhorar a gestão de medicamentos no principal município da região dos Campos Gerais do Paraná. A decisão foi tomada no julgamento de Relatório de Monitoramento, que comprovou o descumprimento das determinações pela Prefeitura de Ponta Grossa.

O processo de Monitoramento decorreu da decisão expressa no Acórdão nº 2402/2013, da Segunda Câmara da corte. Naquela ocasião, a Segunda Câmara aprovou o Relatório de Auditoria realizado por servidores do TCE-PR em parceria com a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), no programa chamado Plano Anual de Fiscalização Social (PAF Social). A equipe de fiscalização apontou diversas falhas na aquisição, no armazenamento e na distribuição de medicamentos para a população do município.

Ao todo, o Tribunal expediu 16 determinações. Destas, apenas oito foram implementadas totalmente pelo município. Entre as medidas que não foram implantadas estão a realização de levantamento das demandas não atendidas em razão de insuficiência de medicamentos; aplicação de modificações no processo de planejamento para a aquisição de medicamentos; revisão e atualização do software de controle de estoque; e elaboração de um plano de distribuição de medicamentos entre as unidades de saúde.

Visto que ainda falta o cumprimento de metade das medidas determinadas, a Coordenadoria de Monitoramento e Execuções (CMEX) do TCE-PR sugeriu a aplicação de multa ao gestor. O Ministério Público de Contas (MPC-PR) concordou com a instrução da unidade técnica.

O relator do processo, conselheiro Nestor Baptista, destacou que o município já tinha apresentado um plano de ação para atender às determinações, estipulando o prazo de um ano para atender a todas as medidas. No entanto, passaram-se três anos e as medidas não foram implementadas. Desta forma, o conselheiro fixou um novo prazo, também de um ano, para que sejam cumpridos os itens pendentes.

O relator aplicou, ainda, multa ao atual prefeito do município. A sanção equivale a 30 vezes o valor da Unidade Padrão Fiscal do Paraná (UPF-PR), que sofre atualização mensal. Em outubro, a UPF-PR vale R$ 100,84 e a multa soma R$ 3.025,20.

Os membros da Primeira Câmara acompanharam, por unanimidade, o voto do relator, na sessão de 4 de setembro. Os prazos para recurso passaram a contar em 18 de setembro, primeiro dia útil após a publicação do Acórdão nº 2360/18 - Primeira Câmara na edição nº 1.909 do Diário Eletrônico do TCE-PR (DETC).

 

Serviço

Processo :

401995/15

Acórdão nº

2360/18 - Primeira Câmara

Assunto:

Relatório de Monitoramento

Entidade:

Município de Ponta Grossa

Interessados:

Marcelo Rangel Cruz de Oliveira e Pedro Wosgrau Filho

Relator:

Conselheiro Nestor Baptista


Carreata Pró-Bolsonaro reúne grande público em Ponta Grossa-PR 

 (Post de Emerson Rodrigues, blogueiro, editor geral do FCSBR, aos blogues da mídia livre no Brasil e no Exterior [email protected]) 





ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores, os quais poderão responder judicialmente e não representam a opinião deste site. Se achar algo ofensivo, marque quem comentou e denuncie.



ECONOMIA X GOVERNO

SÉRIE SOBRE EUA

Sugeridos

© Todos os direitos reservados

X