FCS Brasil
Notícias [+] Lidas
24/07/2018   

GAECO derruba outra 'Máfia da Coleta do Lixo' envolvendo IAP e prefeituras no Paraná

Corrupção sem fim.

RELEMBRE>>>  GAECO arrebenta esquema de corrupção com prefeito, secretários e vereadores em Prudentópolis-PR

RELEMBRE>>>  Prefeita substituta dá mais R$ 759 mil reais à empresa de lixo em Ponta Grossa

G1 -  Doze pessoas foram presas em uma operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) contra fraude em licitações envolvendo coleta de lixo em Curitiba e outras cidades do Paraná. A operação foi batizada de Container.

Do total de prisões, duas foram contra servidores vinculados ao Instituto Ambiental do Paraná (IAP) que atuavam na capital e em Francisco Beltrão, no sudoeste.

Outros 36 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em escritórios do IAP e em empresas e residências de Araucária, Guarapuava, Laranjeiras do Sul, Nova Esperança do Sudoeste, Dois Vizinhos, Enéas Marques, Salto do Lontra, Cafelândia e Umuarama.

As investigações, de acordo com o Gaeco, miram a formação de cartel para licitações realizadas por prefeituras paranaenses para contratação de serviços de coleta de lixo.

Desde 2010, grupos empresariais estariam dividindo o mercado e apresentando propostas de cobertura nos certames, de forma a garantir que o acordo respeitasse a carteira de contratos de cada empresa, ainda de acordo com os promotores.

Os crimes investigados na operação são prática de cartel, fraude à licitação, corrupção ativa e passiva e crimes contra o meio ambiente.

A operação foi realizada em conjunto com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e o Grupo Especial de Proteção ao Patrimônio Público (Gepatria).

O que diz o IAP

Em nota, o IAP informou que recebeu os investigadores do Gaeco durante as buscas e que foram apreendidos processos de licenciamento originários nos escritórios regionais de Umuarama, Francisco Beltrão e Curitiba para transporte de resíduos sólidos.

"O IAP reforça que está a disposição dos investigadores e colabora com todas as informações necessárias. O instituto abrirá processo administrativo para apurar qualquer desvio de conduta de seus servidores e tomar devidas providências cabíveis", diz trecho da nota. (As informações são do G1)

 


REVEJA>>>

Prefeitura de Ponta Grossa não consegue limpar e organizar o próprio almoxarifado





ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores, os quais poderão responder judicialmente e não representam a opinião deste site. Se achar algo ofensivo, marque quem comentou e denuncie.



AMOÊDO RESPONDE

SOJA DO MAGGI COM BOSTA

Sugeridos

© Todos os direitos reservados

X