FCS Brasil
Notícias [+] Lidas
05/04/2018   

Juiz Moro torna 16 jaguaras ligados ao governo Richa (PSDB), réus no Paraná

Com o Juiz Moro é assim: trabalho e justiça, pelo Brasil e contra os ladrões não interessa o partido ou a pseudo-ideologia>>>

Pau em todos os ladrões do Brasil>>>


REVEJA>>>


G1 - O juiz Sérgio Moro aceitou nesta quarta-feira (4) denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-diretor do Departamento de Estradas de Rodagem no Paraná (DER-PR), Nelson Leal Junior, e outras 16 pessoas na Operação Lava Jato.

A ação, da 48ª fase da operação, apura crimes nas concessões de rodovias federais no Paraná. Leal Júnior e outras quatro pessoas estão presas desde 22 de fevereiro, quando a operação foi deflagrada.

Entre os réus estão administradores e funcionários da concessionária de pedágios Econorte, que integra o grupo Triunfo, operadores financeiros e servidores púbicos. Eles foram acusados por crimes como organização criminosa, estelionato, peculato, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e corrupção passiva.

Moro justificou, no despacho, que "as explicações e documentações apresentadas até o momento são, em cognição sumária, bastante insatisfatórias, salvo se o Juízo fiar-se que ninguém dentro das empresas sabe algo sobre os fatos e que eles surgiram espontaneamente, sem autor".

O juiz rejeitou integralmente a denúncia contra Wellington de Melo Volpato, sócio da Eco Sul Brasil Construtora, "por falta de justa causa".

Prisões e solturas

Moro manteve a prisão preventiva de dois réus, substituiu a prisão de outros dois por medidas cautelares e revogou a prisão de Volpato. Veja o que ordenou o juiz:

  • Helio Ogama, diretor-presidente da Triunfo Econorte: preventiva mantida;

  • Leonardo Guerra, administrador da empresa Rio Tibagi: fiança fixada em R$ 6.450.000,00, admitindo que parte possa ser paga mediante os valores previamente bloqueados (cerca de R$ 217 mil). Também deverá cumprir medidas cautelares;

  • Nelson Leal Júnior, ex-diretor do DER-PR: preventiva mantida;

  • Oscar Alberto da Silva Gayer, ex-funcionário do DER-PR: fiança decretada em R$ 3.800.000,00, podendo usar dinheiro bloqueado para o pagamento (cerca de R$ 600 mil). Também deverá cumprir medidas cautelares;

  • Wellington de Melo Volpato, sócio da Eco Sul Brasil Construtora: prisão preventiva revogada, mas deverá cumprir medidas cautelares - compromisso de não se mudar de endereço sem autorização do Juízo e de comparecimento a todos os atos do processo; - proibição de contato com outros investigados; - proibição de deixar o país; e - entrega do passaporte em 48 horas;

*São 17 réus e não 16 conforme anunciado antes. 





ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores, os quais poderão responder judicialmente e não representam a opinião deste site. Se achar algo ofensivo, marque quem comentou e denuncie.



GOLPE DO VOTO IMPRESSO

HUMILDADE MINHA GENTE!

Sugeridos

© Todos os direitos reservados

X