Folha Centro Sul
06/08/2013   

MENINO DE 13 ANOS MATOU OS PAIS, TIA E AVÓ, FOI PARA ESCOLA, VOLTOU E ENTÃO SE MATOU, DIZ PM PAULISTA

Se você ainda não curtiu, curta o FCS Brasil no Facebook:

A Polícia Militar acredita que o garoto Marcelo Pesseghini, de 13 anos, suspeito de matar os pais policiais, a avó e a tia na Zona Norte de São Paulo e se matar na segunda-feira (5/08), foi à escola pela manhã após já ter assassinado os parentes, voltou, viu TV e depois se matou. (Na foto: o menino e seus pais)

Andréia Regina Bovo Pesseghini, de 36 anos, o sargento da Rota Luís Marcelo Pesseghini, a mãe da policial militar, Benedita de Oliveira Bovo, de 67 anos, a tia da policial, Bernadete Oliveira da Silva, de 55 anos, e o filho do casal, de 13 anos, foram encontrados mortos em duas casas da família que ficam no mesmo terreno. Os corpos das vítimas deixaram o Instituto Médico-Legal (IML) na Zona Oeste de São Paulo no início desta tarde.

A polícia afirmou que foram efetuados ao menos cinco tiros dentro da casa, todos compatíveis com um pistola .40. Apesar disso, apenas exames de balística deverão comprovar se os disparos foram feitos pela pistola encontrada sob o corpo do garoto morto. "O que os peritos apuraram aqui é que não tem nenhum estojo diferente do de .40 na residência." (G1)





RECOMENDAMOS:

Princípio da Descrença

O princípio da descrença é a proposição fundamental da Conscienciologia na qual o pesquisador ou pesquisadora não deve aceitar nenhuma ideia de maneira apriorista, dogmática, mística, sem reflexão e sem submetê-la a uma análise crítica, desapaixonada e racional. Através do princípio da descrença a pessoa substitui a crença pelo conhecimento advindo da racionalidade e da experiência pessoal. O princípio da descrença representa um desafio prático para todos nós e pode ser postulado pela frase:


Não acredite em nada, nem mesmo

no que lhe informarem aqui.

EXPERIMENTE.

Tenha suas experiências pessoais.





Mídia Livre E Diferente!

×

© Todos os direitos reservados

contato@folhacentrosul.com.br