FCS Brasil
Notícias [+] Lidas
22/09/2016   

Povo vai pagar R$ 10,2 bilhões para manter marajás da Câmara e do Senado em 2017

Atualizado em 10/01/2017

Câmara e Senado custarão R$ 28 milhões por dia ao povo brasileiro. Limite de gastos? Onde?

ATUALIZAÇÃO: Presidente Geleia sanciona Orçamento com R$ 139 bilhões de rombo e Fundo Partidário

VEJA ESSA: Câmara gasta R$ 100 milhões com 'serviço médico' para deputados no 'império de Brasília'

RELEMBRE QUE:  Marajíces sem fim fazem dívida Pública atingir R$ 4,3 trilhões. R$ 418 bilhões foram só para o juros

E MAIS:  Cada político da câmara e do senado custa R$ 151 mil por mês aos cofres públicos

E assim segue o Brasil.

Com o povo lascado, pagando isso e muito mais.

E olha que o rombo de 2017 já é de R$ 140 bilhões. A dívida pública passa de R$ 4,4 trilhões.

Onde isso parar, com toda essa gastança?

***Apesar do déficit de R$ 139 bilhões previsto para as contas públicas em 2017, o esforço do Congresso Nacional para reduzir as suas despesas não será dos mais relevantes.

A Câmara dos Deputados e o Senado Federal tem orçamento previsto de R$ 10,2 bilhões para 2017.

Isso quer dizer que o trabalho dos parlamentares brasileiros custará o equivalente a R$ 28 milhões por dia.

Os valores das dotações das “ Casas Legislativas” estão previstos no Projeto de Lei Orçamentária Anual.

Um mal exemplo: Como deputado, Aliel Machado (REDE/MARINA SILVA)gastou quase meio milhão de reais com o 'cotão parlamentar'

A dotação para o orçamento do Congresso no ano que vem é superior, por exemplo, à previsão de investimentos (obras e aquisição de equipamentos) a serem realizados por 37 dos 38 órgãos superiores em 2017.

Os gastos das duas Casas só perdem para os investimentos do Ministério dos Transportes, que ocupa o topo dessa lista, e deverá aplicar R$ 10,6 bilhões no próximo exercício.

O montante previsto para o orçamento do Congresso Nacional é superior ao de 2016. Juntos, a Câmara dos Deputados e o Senado Federal tiveram orçamento previsto no projeto de Lei Orçamentária Anual de 2016 em R$ 9,4 bilhões.

Cabe ressaltar que os valores levantados pelo Contas Abertas ainda não contam com as emendas parlamentares, que são incluídas na tramitação do Projeto de Lei Orçamentária Anual no próprio Congresso. Dessa forma, os valores podem chegar ao final de tramitação ainda maiores.

O maior orçamento é o da Câmara dos Deputados. Além de 513 deputados, a Casa possui cerca de 16 mil funcionários efetivos e comissionados trabalhando todos os dias. No total, estão previstos R$ 5,9 bilhões para o ano que vem. Dessa forma, R$ 4,4 bilhões, o que representa 81% do orçamento, será destinado ao pagamento de pessoal e encargos sociais.

Os recursos são pagos por meio da grupo de natureza da despesa (GND) 1 que inclui a despesa com o pagamento pelo efetivo serviço exercido de cargo, emprego ou função no setor público, quer civil ou militar, ativo ou inativo, bem como as obrigações de responsabilidade do empregador.

Já as despesas outras despesas correntes devem somar o total de R$ 1 bilhão. Nesse grupo se computam os gastos com a manutenção das atividades dos órgãos, cujos exemplos mais típicos são: material de consumo, material de distribuição gratuita, passagens e despesas de locomoção, serviços de terceiros, locação de mão de obra, arrendamento mercantil, auxílio alimentação etc.

Já os recursos que tratam de obras e da compra de equipamentos, denominados investimentos, deverão somar R$ 130,5 milhões na Câmara.

Senado custará R$ 4,5 bilhões

O Senado Federal tem orçamento um pouco mais modesto. A previsão inicial é que Casa custe R$ 4,5 bilhões aos cofres públicos em 2016. A maior parcela dos dispêndios também deve ir para o gastos com pessoal e encargos sociais: 85% do total, o equivalente a R$ 3,6 bilhões. As outras despesas correntes devem consumir R$ 611,6 milhões. Já nos investimentos o total será de R$ 30 milhões. ***(Com informações do Contas Abertas) (Com foto de Pedro França/Agência Senado)

====
Aos que às vezes reclamam de palavras fortes, alguns palavrões em nossas opiniões e sempre aparecem com 'mimimis', dizemos o seguinte:
"Sabemos muito bem que a nossa visão das coisas se arrisca a parecer louca: é porque dizemos, rápida e brutalmente o que temos a dizer, da mesma forma que se bate à porta de um dorminhoco quando o tempo urge." (Trecho do livro: "O Despertar dos Mágicos", de Louis Pauwels e Jacques Bergier, 22ª edição, página 93. https://goo.gl/R9Jvq5)
====






ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores, os quais poderão responder judicialmente e não representam a opinião deste site. Se achar algo ofensivo, marque quem comentou e denuncie.



LULA E OS PROCESSOS

NIETZSCHE

Sugeridos

© Todos os direitos reservados

[email protected]

X